Simulador de salário da Função Pública para 2013

Depois de conhecidas as tabelas de retenção na fonte de IRS que vigorarão em 2013, já é possível perceber quanto vai levar todos os meses para casa. Faça as suas contas com a ajuda do Ei.

Publicado em

Em 2012, os funcionários públicos que tinham como remuneração mensal bruta um valor superior a 600 euros viram os seus subsídios (de férias e de Natal) cortados numa percentagem que crescia até à eliminação total. Por exemplo, um trabalhador com uma remuneração mensal bruta superior a 1100 euros deixou de contar com os dois subsídios no seu rendimento anual.

O novo Orçamento do Estado para 2013 trouxe novas medidas: a "eliminação" de apenas um dos subsídios (no caso em que excede os 1100 euros) e o pagamento do outro subsídio diluído em 12 meses do ano.

FAÇA AQUI A SUA SIMULAÇÃO (atualizado)

(SE É TRABALHADOR DO SETOR PRIVADO SIMULE AQUI)

A "eliminação" do subsídio, no entanto, obedece às mesmas regras de progressividade no corte que vigoraram em 2012, ou seja, quem tem remuneração bruta inferior a 600 euros continua a receber o subsídio por inteiro, quem tem uma remuneração bruta mensal entre 600 e 1100 euros sofre uma redução progressiva do valor do subsídio pago este ano e quem está acima destes limites, com salário bruto para lá de 1100 euros, pode contar com a eliminação completa do subsídio, situação idêntica à de 2012.

Além disso, e tal como os trabalhadores do setor privado, os funcionários do setor público veem as taxas de retenção na fonte mensais subirem por via da reorganização dos escalões de IRS de oito para cinco, o que faz subir as taxas médias efetivas do imposto a que se junta ainda a sobretaxa extraordinária de 3,5%. Em janeiro, os salários foram processados ainda com a taxa de retenção de IRS de 2012, mas a partir de fevereiro começarão a sentir-se as mudanças nas taxas de retenção.

Continue a ler este artigo na página seguinte

Página 1 de 2Seguinte >>

Deixe o seu comentário

{0}